no

Senado aprova projeto sobre regras emergenciais do INSS para acesso aos benefícios

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou a questão no início desta semana, 25 de outubro. Compreendo.

Foi aprovado o projeto de regras emergenciais para acesso aos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) durante o período da pandemia do COVID-19. Originalmente period projeto de bouquet que o senador Paulo Paim (PT-RS), que é relator, transformou em projeto de bouquet.

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou a questão no início desta semana, 25 de outubro. A Comissão está agora a analisar o projecto de bouquet com as regras de emergência.

Quais são as regras de emergência?

Segundo informações da Agência do Senado, o projeto de bouquet conferirá aos segurados do INSS os seguintes direitos por meio de regulamentação emergencial:

  • Receber o piso mínimo no reconhecimento do direito, mesmo que o cálculo do valiance ainda dependa da documentação;
  • Para garantir a concessão, prorrogação e pagamento do subsídio de doença sem atestado médico, desde que se comprove o vício e a qualidade do segurado, é necessário atestado médico);
  • Também é estipulado que os benefícios para idosos e pessoas com deficiência iguais a salário mínimo serão liberados no ato do cadastro no Cadúnico, além do laudo do médico assistente (neste caso, se a assistência social for devida ao deficiente);
  • A validação de certificados e outros documentos é facilitada sem a necessidade de apresentação dos originais quando as informações estão em registros públicos.
  • O Sindicato dos Empregados Federais da Saúde, Trabalho e Previdência Social do Rio Grande do Sul (SindisprevRS) apresentou a proposta, que tratava de medidas para flexibilizar e facilitar o acesso aos serviços previdenciários e assistenciais do INSS.

    O sindicato também argumentou que a suspensão do atendimento pessoal nas agências de seguridade social durante a pandemia resultou na contenção dos processos. Isso causou grande prejuízo aos cidadãos que tiveram que analisar as solicitações encaminhadas.

    Recomendado:  Bolsonaro afirma que pedirá o retorno da "bandeira normal" para conta de luz

    O senador Paulo Paim disse que muitas famílias estão passando por momentos de incerteza e insegurança. Ele também destacou que muitos segurados legalmente elegíveis podem ficar sem fundos por um ano.

    Escrito por Bonfim Notícias

    Yanka Barreiros revela receber mensagens de ódio após ganho de peso

    Beatriz e Cláudio têm conversa definitiva e decidem se separar