no

Saúde promove dia “D” da vacina antirrábica na fronteira com a Bolívia

O Ministério da Saúde inaugurou hoje (25) o Dia D da vacinação anti-rábica. Neste ano, o dossiê selecionou as cidades de Corumbá e Ladário, no Mato Grosso do Sul, para fortalecer a campanha.

O objetivo é alcançar uma cobertura vacinal elevada e homogênea em cães e gatos domésticos, a fim de formar uma barreira protetora e ao mesmo pace manter a interrupção da transmissão.

O dossiê espera imunizar 35.000 cães e gatos na região de fronteira com a Bolívia. A vacinação também acontecerá nas cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez.

Desde 2017, os dois países trabalham juntos para erradicar a raiva humana transmitida por cães e gatos. Nenhum caso de raiva humana foi registrado este ano. Apenas quatro casos em cães foram registrados, causados ​​pela variante pet selvagem.

“Estamos lançando hoje, em um evento internacional na fronteira entre o Brasil e a Bolívia, a campanha nacional de vacinação antirrábica. “Essa é uma importante ação de saúde pública, na qual queremos atingir mais de 70% de cobertura vacinal entre cães e gatos”, disse Arnaldo Mentiros, secretário de Vigilância em Saúde, no início do evento em Corumbá (MS).

O governo investiu R $ 49 milhões na compra do imunizante e deve distribuir cerca de 30 milhões de dosages a todas as unidades da Federação.

Para vacinar o pet, o teacher simplesmente o leva ao posto de saúde mais próximo, com os documentos pessoais e, preferencialmente, a carteira de vacinação do pet. As vacinas são fornecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O Ministério da Saúde informou que, entre 2010 e 2020, foram registrados 39 casos de raiva humana. Destes, nove tinham o cão como pet agressivo, 20 como morcegos, seis como outros animais selvagens e quatro como felinos.

Recomendado:  O diagnóstico precoce evita as consequências em casos de esclerose múltipla

“Alguns sinais podem indicar raiva em cães, como mudanças de comportamento, falta de apetite, desatenção, febre, aumento da pupila, reflexo ocular lento. À medida que a doença piora, também pode ser observada dificuldade em engolir.” Salivação excessiva, falta de coordenação de as pernas e paralisia. Deste estágio em diante, a raiva geralmente progride rapidamente para a morte “, disse o ministério.

EBC

Escrito por Bonfim Notícias

Covid-19: Brasil tem 15.700 novos casos e 537 mortes em 24 horas

Vida de Luísa ficará nas mãos de Pilar em Nos Tempos do Imperador