no

Quais motivos podem cancelar meu benefício do Bolsa Família? Tire suas dúvidas

Em julho deste ano, o governo federal apoiou mais de 14 milhões de famílias em todo o país por meio do programa Bolsa Família. Os benefícios são pagos mensalmente às famílias que atendem aos critérios definidos pelo programa.

Porém, os serviços podem ser cancelados caso a pessoa não atenda aos padrões definidos pelo Bolsa Família. O Ministério da Cidadania cortou 1,3 milhão de benefícios concedidos a unidades familiares em 2019. Por serem irregulares, houve um corte.

Em 2020, devido à pandemia COVID-19, o programa foi expandido para incluir mais famílias de baixa renda.

Regras para ser beneficiário

O programa Bolsa Família foi criado para garantir renda às pessoas que vivem em situação de extrema pobreza ou vulnerabilidade social. Para ser beneficiário, entretanto, os critérios definidos pelo governo federal devem ser atendidos:

  • A pessoa deve se cadastrar no cadastro Único (CadÚnico);
  • Se a renda mensal por pessoa está entre R $ 89,00 e R $ 178,00 (vivem em extrema pobreza), a família pode perguntar se tem filho ou jovem entre zero e 17 anos;
  • Com renda mensal de até R $ 89,00 por pessoa (vivem em extrema pobreza), o ingresso no Bolsa Família pode ocorrer mesmo que a família não tenha filhos ou jovens.
  • Se uma família se enquadrar em alguma dessas duas regras de valor, mesmo que tenha carteira de trabalho assinada, renda diferente ou seja estrangeira, ela tem direito ao Bolsa Família. Lembrando que o governo federal apoia as famílias beneficiárias nas áreas de saúde e educação.

    Desta forma, você evita ter que encerrar o serviço

    As famílias que participam do programa Bolsa Família devem seguir as regras para evitar o cancelamento. Dinheiro:

    Recomendado:  Tesouro é contrário à renovação por meio de créditos extraordinários
  • As mães beneficiárias são obrigadas a participar de atividades educativas do Ministério da Saúde que abordem: aleitamento materno e alimentação saudável para os filhos;
  • Já as famílias com filhos de até sete anos devem ter o certificado de vacinação atual com o certificado de vacinação preenchido nas datas de vacinação especificadas;
  • A saúde das mulheres entre 14 e 44 anos deve ser monitorada por meio do programa;
  • Se o benefício for concedido a crianças e adolescentes, estes devem ter frequentado a seguinte escola: no mínimo 85% para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos; 75% para jovens de 16 a 17 anos;
  • As gestantes beneficiárias devem realizar o acompanhamento de pré-natal conforme calendário do Ministério da Saúde.
  • Razões que levam ao cancelamento

    Existem também outros motivos que podem resultar no cancelamento do serviço. De acordo com o governo federal, as principais consequências de um cancelamento são:

  • Quando o cadastro do beneficiário está desatualizado. Para evitar isso, o beneficiário deve atualizar dados como endereço, número de familiares, escolaridade e renda mensal a cada dois anos;
  • No caso de informações incorretas, que podem variar desde uma mudança de escola de uma criança até uma mudança de renda. Esta informação deve ser atualizada no Cadúnico;
  • Se o pagamento não for retirado dentro de 90 dias do recebimento. Se durar seis meses, o governo federal retira a família do programa;
  • Quando a receita ultrapassa o valor máximo permitido. Ao cruzar as datas, o governo federal pode saber se os valores informados pela família são iguais. No caso de valores diferentes, aplica-se o seguinte: Suspensão de receita entre R $ 170 e R $ 440 por mês; ou cancelamento se a renda for superior a R $ 440 por mês.
  • Recomendado:  Privatização da Petrobras é sugerida pelo presidente da Câmara

    Tendo em vista que o governo federal encaminhará ao beneficiário a notificação da declaração de atualização após o término do prazo de dois anos para atualização do cadastro.

    Escrito por Bonfim Notícias

    Resumo da novela Te Dou A Vida: capítulos de 20 de setembro

    CONSULTA PÚBLICA DA PREFEITURA DE FILADÉLFIA – LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL 2022