no

Nos Tempos do Imperador faz novo deboche com governo Bolsonaro

Os diligentes telespectadores de Nos Tempos do Imperador, atual novela dos seis veiculada na Globo, já devem ter percebido que a trama nunca perde a oportunidade de arrebatar o governo Bolsonaro. No capítulo mostrado no dia 20 de novembro, Quinzinho (Augusto Madeira) contará que viu Jesus Cristo em uma jabuticabeira – assim como Damares Alves, ministro da Mulher, Família e Direitos Humanos.

Quinzinho vai ver Jesus na Jabuticaba

Nos próximos capítulos da história de Alessandro Marson e Thereza Falcão, o ex-marido de Clemência (Dani Barros) se torna um fanático religioso ao fugir de casa e se tornar um profeta do Apocalipse, e ainda conseguirá alguns seguidores. As informações são do portal de notícias da TV. Em uma das cenas, Quinzinho conta seu suposto encontro com a figura de Jesus Cristo. “Eu vi o Senhor Jesus ontem! Ele apareceu para mim na Jabuticaba ”, ele dirá aos fiéis. O discurso de Quinzinho faz alusão ao relatório de Damares Alves, antes mesmo de assumir qualquer um dos ministérios do atual governo. Em dezembro de 2018, um vídeo foi veiculado nas redes sociais mostrando a participação do pastor em um serviço religioso evangélico. Na gravação, ela conta que tentou se matar aos 10 anos, mas foi salva ao ver a gravura de Jesus em uma goiaba. “No dia em que tive a substância naquela goiaba, aconteceu uma coisa extraordinária. Eu estava em cima da goiaba com o veneno na mão e quando ia comer o veneno vi Jesus se aproximando da goiaba ”, disse Damares. “Jesus quer revelar-se às crianças de uma forma sobrenatural. Tive minha experiência com Jesus aos 10 anos de idade, na goiabeira. E foi inacreditável. ”
na época do imperador Bolsonaro

Quinzinho (Augusto Madeira) vira fanático religioso – Foto: Reproduktion / Globo
Recomendado:  Samuel em Nos Tempos do Imperador: o que vai acontecer com ele

No Times of the Emperor critica o governo Bolsonaro

Esta não será a primeira vez que a série será politicamente crítica. De vez em quando, é possível ouvir um “não ele” entre as falas dos personagens, como no episódio que Clemência relembrou quando os pais se opuseram ao casamento dela com Quinzinho. A mulher repetiu várias vezes a frase que era o lema principal da oposição contra a campanha eleitoral do então candidato Jair Bolsonaro nas eleições de 2018: “Ele não! Ele não! Ele não! Ele não! Ele não! Olha a situação aqui, tira! A metáfora da minha vida ”, gritou o dono do cassino. Antes, o público da novela já havia notado outras indiretas. Nas primeiras semanas Dom Pedro II (Selton Mello) enfrentou Solano López (Roberto Birindelli) e proferiu a frase “O Brasil nunca se renderá a um ditador, nunca”. Na rede, alguns telespectadores acreditaram que a cena se referia às ameaças do presidente de não realizar eleições em 2022 se a votação não fosse impressa. Outra pista veio durante uma conversa entre o Imperador e o Marquês de Caxias (Jackson Antunes). Durante o diálogo, a Majestade afirmou que “prefere gastar dinheiro com escolas do que com armas” enquanto os dois discutiam uma possível guerra com o Paraguai.

Escrito por Bonfim Notícias

A partir do salário mínimo 2022, benefícios do INSS serão reajustados

No fim de Gênesis, José faz Benjamin sofrer para testar irmãos: ‘Vai ser meu servo’