no

inscritos tem pior poder de compra em sete anos; entenda

A inflação tem prejudicado o meio ambiente das populações mais vulneráveis ​​do país, beneficiadas por programas sociais de transferência de renda. de acordo com a imprensa, com base em dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os beneficiários do Bolsa Família têm o pior poder aquisitivo devido à alta da inflação.

Há sete anos, os beneficiários do Bolsa Família têm o pior momento para comprar a cesta básica. Os números mostram que o valiance médio do benefício de R $ 189 é suficiente para comprar apenas 30% dos itens que compõem a cesta básica. E o que é pior: para apenas uma pessoa.

A alta da inflação foi o “calcanhar de Aquiles” do governo, que por sua vez adotou a postura econômica criticada por diversas autoridades. Um exemplo de medidas de política econômica que contribuíram para a elevação de muitos índices de inflação é a alta cota de exportação. Isso cria concorrência no mercado interno.

Essa política vem sendo criticada pela Fiscalização de Preços do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Patrícia Costa. Ela relatou a alta taxa de exportação durante a pandemia. Para o especialista, tratava-se de coibir as exportações por desconhecimento das proporções do contexto atual.

O relator da medida provisória que cria o Auxílio Brasil (novo Bolsa Família), Marcelo Aro (PP-MG), quer aumentar o poder aquisitivo dos beneficiários do programa social e quer incluir reajuste anual no benefício. Isso se baseia na inflação, o que pode dar aos cidadãos mais poder de compra.

Isso não está acontecendo atualmente porque os ajustes no Bolsa Família são discricionários, ou seja, depende do orçamento e não é uma obrigação lawful.

Escrito por Bonfim Notícias

Tentando fugir, Nazaré se desespera e é pega por Duarte

Gênesis: Asenate se livra de Adurrá e cai no colo de José sem realizar esforço