no

Covid-19: Rio discute o lançamento da máscara em novembro

A cidade do Rio de Janeiro discutirá em novembro o lançamento do uso da máscara como medida sanitária obrigatória opposite o covid-19. Segundo o secretário, Daniel Sorandz, todas as medidas de recuperação e reabertura serão tomadas com muito cuidado e de acordo com a situação epidemiológica da cidade.

Em outubro chegamos a 65% da população totalmente vacinada, circulamos mais atividades a partir dessa época e em novembro, com toda a população [adulta] totalmente vacinado, acho que é momento mais favorável para a gente discutir se deve ou não usar máscara ”.

Soranz participou da divulgação do 39º Boletim Epidemiológico da prefeitura, nesta manhã (1º). A partir deste mês, a prefeitura continua publicando o boletim semanalmente, mas a coletiva será quinzenal. O secretário destacou que ainda não é hora de livrar a população do uso da máscara.

“Entendemos que está cada vez mais difícil manter a população com máscara, no momento não é simples, já é 1 ano e 8 meses de pandemia, não é simples a gente continuar com medidas restritivas, usando máscara . No momento, porém, entendemos que o uso da próstata não pode ser abolido na cidade do Rio de Janeiro. “Em eventos de teste onde a população está totalmente controlada, o quadro epidemiológico é diferente, o teste e a vacina são uma garantia maior, mas ainda não nos sentimos seguros em permitir o uso de máscara”.

Fatos do julgamento

Até o momento, a cidade aprovou 12 eventos piloto com o público, onde todos os participantes devem ser vacinados e testados opposite o covid-19. Já foram cinco jogos, todos jogos de futebol, dois do Flamengo no Maracanã, dois do Vasco em São Januário e um do Botafogo no Engenhão. Ao todo, houve uma detecção máxima de 1,1% do público ou funcionários que deram positivo para Covid-19 e não permitiram sua entrada no estádio.

Recomendado:  O teste do brasileiro foi positivo para Covid-19 ao chegar da África

Na primeira prova aprovada, o jogo Flamengo e Grêmio, em 15 de setembro, das 7.652 pessoas testadas, 68 deram positivo, o que representa 0,9% do complete. O acompanhamento de 15 dias mostrou que dez pessoas que foram ao jogo eram suspeitas de Covid-19, com sintomas leves de complaint e apenas uma havia confirmado a doença. Assim, a incidência de incidentes suspeitos no evento foi de 15,5 por 10.000 pessoas, enquanto na cidade o percentual é de 98,8.

Passaporte vacinal

O prefeito Eduardo Paes agradeceu a decisão tomada ontem (30) pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, de anular a ordem que o impedia de recolher o passaporte da vacina para comparecer a locais como cinemas e academic communities. Para o prefeito, as regras são estabelecidas para a convivência em sociedade e não prejudicam a liberdade person, mas protegem a comunidade.

“Queremos confirmar e garantir o direito das pessoas de ir e vir. as pessoas que vêm [ao Rio de Janeiro] devem continuar a usar cinto de segurança, devem continuar a não fumar em seus hotéis e restaurantes, devem, ao embarcar, continuar a realizar radiografias ou exames por segurança. E nenhum de nós trata isso como uma restrição ao direito individual, o direito de ir e vir, em nossas liberdades democráticas ”.

Paes destacou que “a grande maioria das pessoas quer se vacinar”, com 99,2% de cobertura no município da primeira dosage na população de 12 anos e 65% com duas ou uma dosage. Ele reafirmou a importância do passaporte de vacinação como garantia da saúde da cidade para a retomada das atividades econômicas, como o turismo.

“Esta é uma cidade turística, que quer receber turistas, que quer voltar à normalidade, que quer passar o réveillon, quer realizar carnaval, quer passar o verão com inúmeros hotéis. Quando pedimos o passaporte de vacinação, também sinalizamos a quem nos visita. Com o passaporte da vacina, dizemos aos turistas responsáveis, que já foram vacinados, que podem vir em paz. E também dizemos será destinado as pessoas não foi vacinado, não venha, porque não será bem-vindo no Rio de Janeiro. É tão simples ”.

Recomendado:  A mortalidade é alta entre pessoas com problemas cardíacos.

Segundo o prefeito, até a segunda quinzena de novembro, quase 100% dos adultos do Rio de Janeiro estarão com o programa de vacinação completo.

Vacinação

Com a finalização da vacinação do adolescente, em outubro a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizará campanhas em áreas de alto tráfego para atingir as pessoas que ainda não procuraram regional para se vacinar opposite a Covid-19.

“Ao longo do mês de outubro cada unidade vai definir a sua estratégia de vacinação, dependendo da área, proximidade com metrô ou BRT ou outro ponto importante de vacinação. Estamos muito acostumados a realizar isso. Isso com as outras campanhas, então vamos criar locais externos de vacinação, bulas, dias específicos, para ver se conseguimos aumentar essa cobertura. Menos de 1% da população precisa ser vacinada com a primeira dose e acreditamos que essa estratégia pode ajudar um pouco mais nesse avanço ”, explica o secretário Soranz.

A vacinação continua esta semana com a repetição da primeira para maiores de 12 anos e reforço para idosos e profissionais de saúde. Até o dia 30 de outubro, quem recebeu a segunda dosage em abril pode tomar o reforço. O calendário community vai até fevereiro de 2022, com apoio aos profissionais de saúde que tenham completado a vacinação nos meses de julho e agosto.

Hoje, a ajuda também se aplica aos de 79 anos e amanhã aos de 78 anos. Na próxima semana, estarão contemplados os idosos de até 73 anos. O SMS também oferece a segunda parcela será destinado as pessoas recebeu a primeira parcela da Pfizer e tem 40 anos ou mais. Eles podem ir ao regional para completar a imunização 21 dias após a primeira dosage.

Hospitalizações

As hospitalizações para Covid-19 na cidade continuam caindo, com 290 pessoas matriculadas em hospitais na semana passada, uma queda de 56% em relação à semana 33, o último pico no gráfico quando 663 pessoas foram admitidas. Atualmente, a cidade possui 438 pessoas atendidas pela Covid-19 e a taxa de ocupação dos leitos é de 49%.

Recomendado:  Brasil registra mais de 15.591 covid-19 casos e 451 mortes em 24 horas

O secretário destacou que a cidade vai começar a devolver esses leitos para outras especialidades, já que “não faz sentido ficar com esses leitos sem atender a população”. Segundo ele, entre as 218 pessoas internadas no Hospital Ronaldo Gazola, duas receberam a primeira dosage da vacina e dez a segunda dosage, com 95% sem nenhuma dosage.

O município segue com todas as áreas com risco moderado, em amarelo, para a transmissão do novo coronavírus.

EBC

Escrito por Bonfim Notícias

Conheça a história do casamento Princesa Isabel, filha de D. Pedro II

Lucas Penteado expõe suposta traição da noiva em live