no

Conheça a história do casamento Princesa Isabel, filha de D. Pedro II

Quem segue o Nos Tempos do Imperador vê Dom Pedro II (Selton Mello) tentando encontrar um pretendente para Isabel (Giulia Gayoso). O primeiro candidato foi Pierre (Gabriel Falcão), mas a relação falhou. Em breve, o Conde D’Eu (Daniel Torres) entrará na história para pedir uma ajuda à Princesa Isabel. Na vida real, foi ele quem casou o herdeiro do trono.

Como foi o casamento da princesa Isabel?

Isabel de Bragança casou-se com Luís Filipe Maria Fernando Gastão, Conde d’Eu, em 1864 com 18 anos. Primeiro ela se casaria com Luis Augusto de Sachsen-Coburgo-Gota e a irmã ficaria com o conde. Porém, devido a uma maior afinidade entre os casais, Leopoldina se casou com o duque de Saxe-Coburg-Gotha, enquanto Isabel se juntou a Gastão. Segundo historiadores, o casal estava apaixonado e mantinha uma relação estável.

Como estrangeiro, no entanto, o conde não era muito popular no tribunal. Ele teve problemas de comunicação devido à sua surdez e à falta de português.

As informações são do Mundo Educação. Isabel estava com problemas para engravidar e precisava de tratamento. Ela engravidou quatro vezes, mas sua primeira filha, Luísa Vitória, nasceu morta. O casal teve mais três filhos: Pedro (1875-1940), Luis Maria (1878-1920) e Antônio Gastão (1881-1918).


Casamento princesa isabel

Princesa Isabel e o Conde D’Eu – Foto: Reprodução

Princesa Isabel, Conde d’Eu e seus três filhos – Foto: Reprodução

Exílio e morte

Anos depois de seu casamento com a herdeira, o conde foi enviado à Guerra do Paraguai para substituir Duque de Caxias como comandante das tropas imperiais. Ele era conhecido por libertar escravos no país e liderar a caçada que matou o ditador paraguaio, mas também sofreu com campanhas de difamação.

Correram rumores de que Gastão ordenou que líderes militares paraguaios tivessem suas gargantas cortadas e que ordenou aos soldados que matassem mulheres e crianças.

Recomendado:  Em segundo capítulo, remake perde audiência e fica na lanterna das novelas do SBT

Gastão defendeu o fim da escravidão e foi mesmo quem influenciou a esposa para a abolição da escravatura em 1888. No entanto, ele continuou a ter uma má reputação e foi expulso de todos os partidos na época. Isabel, Graf e toda a família imperial foram banidos do Brasil quando a república foi proclamada em 15 de novembro de 1889.

A princesa e o conde foram exilados para a França. Isabel permaneceu no país até sua morte, em 14 de novembro de 1921, aos 75 anos. Após a morte da esposa, Gastão voltou ao Brasil em 1921, mas faleceu de causas naturais no ano seguinte, em 28 de agosto de 1922, aos 80 anos.

Cond’Eu chega em Nos Tempos do Imperador

de acordo com a colunista do jornal Metrópoles, Carla Bittencourt, Daniel Torres aparecerá na novela para interpretar o Conde D’eu. Ele entrará em cena depois que Pierre sair. Gastão é convidado por Luisa, a condessa de Barral (Mariana Ximenes) para vir ao Brasil conhecer a princesa.

Ele se apaixona pela herdeira, mas terá dificuldade em se adaptar ao Brasil e aos costumes da corte, que são muito diferentes dos que está acostumado. Como na vida real, Leopoldina vai se casar com Duque de Saxe-Coburgo, interpretado por Gil Coelho.
marido da princesa isabel

Daniel Torres interpreta Conde D’Eu em Nos Tempos do Imperador – Foto: Divulgação / Globo

Escrito por Bonfim Notícias

A campanha nacional de multivacinação começa hoje

Covid-19: Rio discute o lançamento da máscara em novembro